sábado, 18 de agosto de 2018

Negro não é cor


Depois que vi este vídeo, do Nabby Clifford, falando do significado da palavra negro, resolvi pesquisar sobre e vi que faz sentido tudo em relação ao que ele fala. (https://onavionegreiro.wordpress.com/a-invencao-do-negro/)
Entendo, hoje, que preto é cor, enquanto o termo negro, na grande maioria ligado a coisas negativas, de raça não tem nada (usado unicamente para relacionar pessoas que tem a pele escura com a maldição do povo cananeu, que morreu afogado, quando o mar se abriu, durante a passagem dos israelitas). (Gênesis 9:18:27) Outra besteira que vejo são pessoas como o pa$tor e deputado Marco Feliciano ligando a maldição do povo cananeu ao povo africano, só porque Cã e seu filho Canaã viviam em terras africanas.
A bíblia explica que essa maldição foi originada por Noé, de Cã para seu filho Canaã (a bíblia não dá detalhes, mas, é bem provável que Canaã tenha feito alguma baixeza não mencionada), por desrespeito que o filho teve com ele; mais tarde, expulsos com sua nação pelos israelitas, por perversidade. (Deuteronômio (9:4-5) Mas essa maldição já foi cumprida bem antes de Jesus, e esse povo cananeu (egípcio) já foi exterminado. (Êxodo 14:1-31) Pastorzinho de araque, mal informado, esse Feliciano. Guia cego que não entende a bíblia, pregando falsos ensinamentos para seus seguidores. (Mateus 15:14) Além de estar cegando muitos de seus seguidores, também, formando cada vez mais racistas. Graças a essa má interpretação bíblica que, através da religião católica, em 1454, toda uma nação de africanos foram sequestrados, roubados, torturados, assassinados e escravizados, sob a justificativa de que eram amaldiçoados e não tinham alma (ou seja, o termo negro, além de ter o significado ofensivo, de gente maldita, infeliz, funesta, e inferior, também é ligada a necro, de morte. Pessoas não deveriam usar esse termo). (http://djdei.blogspot.com/2009/11/gracas-igreja-catolica-existe-o-racismo.html)
É essa justificativa falsa que mantém o ódio contra pessoas de cor preta, dentro e fora de grupos neonazistas, perpetuando o racismo contra descendentes de africanos. Já foi comprovado cientificamente que a diferença de um preto para um branco, asiático, oriental ou indígena, tem uma parcela mínima no DNA, devido as origens de cada espécie. Isso não nos faz raças diferentes. (https://www.brasil247.com/pt/247/revista_oasis/89206/S%C3%B3-existe-uma-ra%C3%A7a-e-ela-surgiu-na-%C3%81frica.htm)
Sendo assim, o termo raça nem deveria servir para classificar humanos. Termos mitológicos como raça negra e ariana só serviram para nos separar. Tipo, um modo simples para identificar o preto como inferior e o branco como superior. Depois que soube disso, não uso mais o termo negro como cor. Racistas mais informados se divertem quando veem pessoas identificando elas mesmas e outras, de pele mais escura, com a raça mitológica e inferior negra. Um preto aceitar ser chamado de negro é a mesma coisa que um racista jogar uma banana pra ele, e este fazer igual fez o jogador Daniel Alves, pegar a banana, descascar, comer e dizer, “somos todos macacos”. Piada. Essa gente não me representa. (https://veja.abril.com.br/esporte/alvo-de-racismo-na-espanha-daniel-alves-come-banana-jogada-por-torcedor/)
O povo precisa entender que preto é cor e negro, uma raça mitológica e inferior. Se somos humanos, não tem sentido dizer que alguém pertence a raça negra ou ariana. Vamos nos informar, que a verdade sempre liberta.